O ano de 2019 é especial para a Confederação Brasileira de Judô e também para uma de suas filiadas mais antigas, a Federação Gaúcha de Judô que, assim como a CBJ, celebra 50 anos de história neste ano. No âmbito esportivo, o judô gaúcho é uma das potências nacionais e berço de gigantes, como os únicos bicampeões mundiais do Brasil, João Derly e Mayra Aguiar.

Administrativamente, porém, a entidade passou por um período de recuperação financeira comandado pela gestão do presidente César de Castro Cação e, neste ano, além do aniversário e das medalhas trazidas pelos atletas gaúchos, a FGJ pôde comemorar também uma conquista que abre caminho para um novo e promissor momento do judô gaúcho.

“A gente conseguiu zerar todas as dívidas da Federação. Há muitos anos tentamos regulamentar essa situação e agora estamos zerados graças ao esforço de muita gente que trabalhou por isso. Agradeço ao secretário João Derly, ao nosso advogado Dr Francisco Balbuena e ao procurador geral do estado do Rio Grande do Sul, Dr Eduardo Costa. É uma enorme conquista para o aniversário de 50 anos da Federação Gaúcha de Judô”, disse o presidente Cação que ainda recebeu os cumprimentos do presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges.

“Parabenizo o presidente César Cação pela liderança, organização, pela forma como conduz sua gestão no comando da Federação Gaúcha e, principalmente, por poder ter uma conta no banco e administrar financeiramente sua entidade”, disse Silvio anunciando também que, nos próximos dias, chegarão ao Rio Grande do Sul os equipamentos do kit da terceira fase do Programa de Apoio às Federações, da CBJ, para melhorar a estrutura de competições da FGJ.

Também responsável pelo sucesso da recuperação financeira do judô gaúcho, o ex-atleta e hoje secretário de esporte e lazer do estado do RS, João Derly, destacou o empenho de sua equipe junto à Procuradoria Geral do Estado no trabalho com as federações esportivas gaúchas e agradeceu a oportunidade de devolver ao seu esporte tudo o que ganhou enquanto atleta.

“A gente sabe o quanto é difícil fazer esporte no nosso país. O Judô não é uma modalidade tão popular, mas é muito importante para a sociedade. Esse movimento que fizemos devemos muito à PGE, ao procurador geral Eduardo Costa. Isso vai ajudar bastante aquele que deve ser o grande vetor do esporte, a Federação”, concluiu o ex-atleta da seleção e da Sogipa.

Para comemorar as conquistas e seu cinquentenário, a FGJ promove, ao longo do ano, uma série de ações especiais, além de receber homenagens na Câmara dos Vereadores de Porto Alegre e na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Neste final de semana, o estado recebe a Seletiva Nacional Sub-18, ponto de partida no processo de formação da seleção brasileira Juvenil de 2020.

Fonte: CBJ

Foto: Lara Monsores/CBJ

Siga nossas redes sociais: FacebookInstagramTwitter

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário